Vinicius de Moraes

Pensamentos.me/VEM comigo!

Essa mulher que se arremessa, fria

E lúbrica em meus braços, e nos seios

Me arrebenta e me beija e balbucia

Versos, votos de amor e nomes feios.

Essa mulher, flor de melancolia

Que se ri dos pálidos receios

A única entre todas que quem dei

Os caminhos que nunca a outra daria.

Essa mulher que a cada amor proclama

A miséria e a grandeza de quem ama

E guarda a marca dos meus dentes nela.

Essa mulher é um mundo! – uma cadela

Talvez… – mas na moldura de uma cama

Nunca mulher nenhuma foi tão bela!

Vinicius de Moraes. Soneto de devoção ( Livro de sonetos. São Paulo: Cia. das Letras. Editora Schwarcz Ltda, 1991.p.15. Autorizado pela VM Empreendimentos Artísticos e Culturais Ltda.

Vinicius de Moraes. Literatura brasileira em diálogo com outras literaturas e outras linguagens. William Cereja e Thereza Cochar. Atual editora. 5 ed. reform. São Paulo…

View original post 16 more words