Divã

O Outro Lado

Entrei. Sentei-me na poltrona onde podia ver a janela.Pediu que eu falasse sobre o que eu sentia.Calor – o sol está castigando esses dias – há um sol para cada um nesta cidade… Acaba com meu jardim.Ela se sentou no divã vermelho. Clássico.
e desabou a falar de flores.Quis descobrir o que eu sabia das lanternas chinesas e comecei a falar de luz. Falei das histórias que li e do poema em mandarim do livro verde e de como a semente veio parar em minha mão.Ela achou tudo poesia pura e me pediu para voltar amanhã.

Mariana Gouveia
Ser de flor
Desvios para atravessar os quintais
Diário das Quatro Estações
Scenarium Livros Artesanais

View original post

One thought on “Divã”

Comments are closed.