A Fundação Cartier encarna a prática insidiosa de usar uma fundação “artística” para seduzir o público, fazendo-o acreditar que sua mercadoria e seu modelo de negócio são na realidade o oposto de sua verdadeira relação com a natureza e os interesses das povos indígenas … — Barbara Crane Navarro

The Cartier Foundation embodies the insidious practice of using an “artistic” foundation to seduce the public, making them believe that their merchandise and their business model are actually the opposite of their true relationship with the nature and interests of indigenous peoples

As empresas que afirmam ter “generosidade abnegada” enquanto “patrocinam” povos indígenas e a biosfera que seu modelo de negócios destrói são duvidosas … assim como as ONGs e outros que as sancionam. A Cartier é a única empresa de artigos de luxo a usar os Yanomami como porta-vozes (vendedores?) de seu negócio de joias de […]

A Fundação Cartier encarna a prática insidiosa de usar uma fundação “artística” para seduzir o público, fazendo-o acreditar que sua mercadoria e seu modelo de negócio são na realidade o oposto de sua verdadeira relação com a natureza e os interesses das povos indígenas … — Barbara Crane Navarro